A mensagem da família Gross

 O vídeo desse bar mitzvah tomou as redes sociais.  Há sete anos, Shimon e Michal Gross perderam suas duas filhas, Avigail e Yael, no que ficou conhecido como o “Desastre dos Pesticidas”.  Os dois filhos, Itshak e Michael, lutaram por suas vidas.  O cantor Avraham Fried veio visitá-los então, quando estavam hospitalizados em estado crítico no Hospital Schneider, e prometeu que iria dançar com eles no bar mitzvah, depois que fossem fortalecidos e curados.  Esta semana isso finalmente aconteceu!  Fried chegou de surpresa ao salão onde Itzhak estava comemorando sua chegada à maioridade e dançou com ele.

Shimon e Michal preferiram não ser entrevistados pela mídia, mas me enviaram uma breve ideia sobre a parashá e pediram para publicá-la:

“Há sete anos um desastre aconteceu conosco, perdemos nossas duas filhas preciosas, e em meio à escuridão, fomos abençoados com um resgate milagroso dos nossos dois filhos, que saíram da morte para a vida. Ele não era um homem que agradecia o Santo, Bendito seja Ele, até que Lia veio e agradeceu. A questão é, por que Lia é a primeira a confessar?  Afinal, os patriarcas já haviam agradecido a Deus.

Na porção dessa semana da Torá, os sábios elogiam Leah, que chamou seu filho de Yehuda, após agradecer pelo seu nascimento. “Desde a criação do mundo nunca ninguém agradeceu a D’us até que Leah o fez”. A pergunta é por quê  Leah é a primeira a agradecer? Afinal, os patriarcas já agradeciam a D’us.

A resposta é que muitas vezes agradecemos apenas por coisas especiais, por milagres.  Leah nos revelou essa ideia revolucionária: é preciso agradecer pela rotina.  Sobre um parto normal, que muitas mulheres têm.  Sobre uma criança saudável, como as milhões de crianças saudáveis ​​como ela no mundo.

Leah busca preservar esse sentimento, de que o óbvio deve ser reconhecido e não subestimado.  Nós pessoalmente já sabemos que a rotina é o maior milagre da terra.”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *