Agora é a hora / A Nota Diária / Sivan Rahav-Meir:

Nos encontramos após Pessach. Prometemos muito a nós mesmos durante esse ano, mas não é aconselhável prometer quando está tudo fechado e estamos sem alternativas. A hora da verdade é quando cumprirmos o que prometemos, quando tudo estiver aberto. Vamos falar, por exemplo, sobre a relação entre o lar e o mundo exterior. Como nos aninhamos juntos no Shabat e chaguim, e também nos dias de semana, quando todos os membros da casa não estavam correndo, conversavam, brincavam, vivendo lado a lado. Agora que podemos sair, podemos nos equilibrar?

Alguns de nós falamos sobre comida caseira. Por não ter que comer fora o tempo todo, alimentos industrializados saturados de gordura e sal. Será que vamos nos lembrar disso agora, quando for possível sair de novo e comer de tudo lá fora?

Outro exemplo: nossos eventos e celebrações. Várias vezes ouvimos frases como “Economizamos dezenas de milhares de shekels e fizemos um bar mitzvah tão verdadeiro e lindo, sem convidar as pessoas que não fazemos questão que venham, e que também não queriam tanto que os convidemos.” Ou por exemplo: “Gostaria que continuássemos com casamentos pequenos, saudáveis ​​e felizes.” Teremos coragem de adotar esse formato de agora em diante?

Essa é exatamente a questão. Será que vamos ter coragem, vamos nos lembrar, vamos mudar? Vamos apenas “voltar à rotina” ou perceber que não passamos todo este ano apenas para voltar exatamente à mesma situação? Agora é a hora, e depende de nós. Pessach acabou. Sairemos da escravidão para a liberdade?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *