E…

Este mês marca o 132º aniversário da morte do Rabino Abdullah Somech, um dos líderes dos judeus iraquianos. Aqui está uma história sobre ele que é pertinente ao mês de Elul, do site “Chachima”:
Certa vez, um homem se aproximou dele e lhe contou em lágrimas sobre todos os seus pecados e dificuldades, e pediu o conselho do Rabino. De vez em quando, o Rabino fazia uma pergunta para esclarecer a história, e o homem respondia e finalmente dizia que não tinha esperanças. Rabino Somech olhou para ele e disse: “E…”, mas o homem não entendeu o que ele quis dizer. Ele olhou para o Rabino com um olhar perplexo e respondeu: “É aqui que minha história termina”.

O Rabino Somech sorriu e disse: “E…”, mas o homem ainda não entendeu. O Rabino explicou: “Quando uma história termina? Quando você decide encerrá-la. Você pode falar sobre um pecado e pode continuar falando, sobre como corrigi-lo. Quando uma história parece terminar, você sempre pode adicionar um novo fim. O segredo está na letra E, que abre um novo horizonte, que mostra que há uma sequência.”

Às vezes nos sentimos presos (no trabalho, no casamento, no desenvolvimento pessoal, na frente dos filhos e muito mais). Não podemos mudar o que já aconteceu no passado, mas podemos continuar a escrever um novo final e tornar o passado uma parte menor, um capítulo dentro da história de nossa grande vida. Em tempos de angústia, a letra E nos permite não ficar presos no lugar, mas continuar, e como o Rabino Somech sempre diz: E…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *