Não matar o tempo

Na noite de sábado, os relógios (em Israel) serão atrasados em uma hora (pelo fim do horário de verão). Já pensamos sobre o que pretendemos fazer com essa hora completa “a mais” que nos foi concedida? Esse é um presente caro, de 60 minutos completos. De 3.600 segundos…

Na porção da Torá dessa semana, a parashat “Chayei Sara”, são narradas as mortes de Avraham e Sara. Curiosamente, nossas interpretações ao longo das gerações enfatizam uma característica comum interessante de ambos – o uso do tempo. Não apenas retidão ou fé, mas simplesmente gerenciamento adequado de seu tempo. Esta é a base.

Diz-se de nossa matriarca Sara, que ela foi chamada assim da expressão em hebraico “srará” – ela governa e controla seus dias, ao invés deles a governarem. Todos os seus 127 anos foram “iguais, no melhor dos sentidos”, escrevem nossos sábios, querendo dizer que ela aproveitou todos os anos de sua vida. Hoje, na linguagem coloquial, são usadas expressões como passar o tempo, matar tempo, perder tempo. Sara não queimou um só momento.

E de Avraham é dito: “E Avraham era velho e bem avançado em idade” (literalmente, “chega nos seus dias”. Qual é o significado da frase “chega nos seus dias”? Alguns comentaristas explicam da seguinte forma: ele chega ao mundo vindouro, com todos os dias de sua vida e pode apontar para cada um deles e dizer o que fez com eles. Todos os dias de sua vida foram cheios de conteúdo e significado, até seu último dia. Uma pessoa que chegada nos seus dias – vem com cada dia como uma unidade de tempo, utilizada para o bem.

Então, como vamos aproveitar ao máximo o dia que temos pela frente, o Shabat? E o que fazemos com o tempo que recebemos de presente no sábado à noite?

Shabat Shalom!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *