O que fazer quando não se consegue melhorar?

O próximo Shabat, o Shabat antes de Yom Kipur, tem um nome especial – “Shabat Teshuvah”. Este é um período anual de autoavaliação, de um desejo de mudança, mas o que acontece quando a coisa não vai? Quando todas as grandes aspirações e tarefas que assumimos se espatifam nas rochas da realidade? Afinal, as maiores chances são de que não seremos capazes de realizar todos os sonhos este ano e implementar todas as decisões tomadas.

Em seu livro “Orot Hatshuva”, o Rav Kook oferece conforto. Segundo ele, a própria vontade de consertar já é algo grande. Vejam: “Não há como estimar nem medir a grandeza da alegria que a pessoa deveria sentir, quando lhe bate aquele certo sofrimento, quando mesmo que com todo seu coração e alma, ela quer da forma mais profunda, andar com pureza e retidão. Mesmo que os caminhos práticos ainda não estejam pavimentados para isso diante dela, mas a vontade de ser boa – é o espírito do Jardim do Eden, D’us insuflando sua alma e a preenchendo de forma infinita.”

Ou seja, se temos uma frustração por não conseguirmos ser melhores – isso já deve nos encher de grande alegria. Significa que ainda estamos tentando, que temos confiança e otimismo em nós mesmos e no mundo, que não desistimos, que nos recusamos a permitir que nossas deficiências nos definam.

Shabat Shalom, e que sejamos todos carimbados no Livro da Vida!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *