Pensamento para a limpeza de Pessach

Antes de começarmos a reclamar da quantidade de coisas, roupas e livros, durante a limpeza de Pessach, vale lembrar que tudo isso realmente não passa despercebido. No entanto, pode valer a pena lembrar que o que temos não deve ser dado como certo, muito menos considerado um fardo. Aqui estão algumas palavras sobre este assunto da Dra. Miri Kahana do Efrata Teachers College, palavras que podem nos fortalecer e inspirar enquanto embarcamos em nosso empreendimento anual de limpeza de Pessach:
“Queria compartilhar um pensamento ao qual sempre retorno: Toda essa limpeza árdua é apenas porque somos muito ricos. Não apenas eu, mas todos nós. Cada um de nós mora com nossa família em nossa própria casa, um quarto separado para os pais, uma cozinha, um chuveiro e um banheiro. Nossas casas estão cheias de móveis, roupas, eletrodomésticos e comida. Nossos filhos têm mais do que o suficiente para comer a ponto de esquecerem os lanches fechados em gavetas da escrivaninha e deixam sanduíches nas mochilas que nem provaram.
Quão longe estamos das discussões haláchicas do passado sobre um forno público para algumas famílias, sobre a única roupa do pobre que deve ser devolvido todas as manhãs se for emprestado, ou sobre lavar a única roupa que uma pessoa tem para o Shabat.
“Apesar das dificuldades e desafios de nossa geração, tenho certeza de que todos nós tivemos pelo menos um bisavô que ficaria surpreso e muito feliz se pudesse ver a prodigiosa prosperidade em que vivem seus bisnetos.
“Por isso, de vez em quando, eu me lembro de parar de reclamar sobre o quanto ainda temos que limpar ou quanto ainda temos que cozinhar, e simplesmente focar no quanto temos.”

Visitas totais 86 , Visitas hoje 2 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *