Por que ela é chamada de “nossa mãe Rachel?”

 

Hoje, dia 11 de Cheshvan, é o dia em que nossa mãe Rachel faleceu. O que se segue é o que Naomi Levenstein escreveu sobre ela – e sobre nós:
“Há algo na personalidade de nossa mãe Rachel, na história de sua vida, que diz a nós, a cada um de seus filhos: Você pode me contar tudo. Você pode me contar sobre cada dor, cada dificuldade, cada tristeza, cada agonia. Eu entendo, eu sei exatamente o que você quer dizer.
Parece que nossa mãe Rachel experimentou todas as formas de sofrimento em sua vida: ela nasceu de Lavan, o vigarista, e esperou anos por seu casamento. Sua irmã Leah se casou com Yaakov em seu lugar, apesar de ela esperar se casar com ele primeiro. E depois que ela se casou com ele, ela teve que sair vagando com a família. Ela não teve filhos por muitos anos, mesmo com mais e mais bebês nascendo ao seu redor. E finalmente, finalmente ela teve um filho e depois outro filho, Benjamin, mas morreu ao dar à luz a ele. Ela nem mesmo teve um enterro respeitável, mas foi enterrada na beira da estrada onde seu túmulo serviria como um símbolo de esperança para seus filhos.
Mas deixei de fora um detalhe importante desta biografia triste: a resposta de Rachel ao que quer que tenha acontecido com ela. Porque existem duas maneiras de experimentar o sofrimento: afundar na amargura ou subir às maiores alturas. Rachel nunca se quebrou; ela se construiu. Rachel se transformou, dentro de sua angústia, em nossa mãe Rachel. Ela se conteve e não desprezou sua irmã Lea, ela esperou ansiosamente por um filho, ela lutou contra a idolatria de seu pai.
E assim, até hoje, seus filhos não se voltam para ela apenas para abrir o coração, mas também para ganhar forças. Rachel ensina não apenas o que o sofrimento pode tirar de nós, mas o que pode nos dar. “

Em sua memória.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *