Sobre a vida do falecido Hayim Har Kessef e sobre nós / Nota Diária / Sivan Rahav-Meir:

Traduzido por: Gladis Berezowsky e Yeshayahu Fuks

Eu não conheci Haim Har Kessef, que morreu ontem em um acidente na Estrada 6, mas aprendi algumas coisas com sua história:
1. O belo rosto deste país. Haim, um residente de Bnei Brak, foi um voluntário dedicado no Magen David Adom, Hatzalah e Hashomerim, e ao longo dos anos salvou a vida de muitos. Ouvimos sobre os residentes de Bnei Brak principalmente em outros contextos. Pessoas como Haim geralmente não o fazem pegar um microfone, mas eles estão lá, em todos os setores, segurando a nossa sociedade.
2. Cuidado, acidentes de trânsito. Temos lidado extensivamente no último ano com a vida e a morte, mas apenas em torno do vírus corona. Alguma precisão, alguma distância, alguma apreensão. O vírus do acidente de trânsito ainda está aqui. Será que ainda vamos escutar, D’s não Permita, nestas férias de Pessach, sobre mais tragédias desse tipo? Depende de nós e do nosso comportamento nas estradas.
3. Vida e morte nas mãos do WhatsApp. A esposa de Haim, Revital, soube do acidente no grupo WhatsApp. Alguém imprudentemente compartilhou a informação ali, e ela respondeu, chocada. A era em que todos viraram jornalistas, em que todos queremos reportar primeiro, é muito perigosa. Muitas famílias enlutadas se lembram para sempre dos momentos em que ouviram o aviso assim. Isso também está em nossas mãos.
As palavras são dedicadas à cura de Naama, filha do Revital Sarah, filha de Haim, que ficou gravemente ferida no acidente. Boas notícias.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *