Todos têm uma parte na Torá

Elad Atias, de Ma’ale Adumim, atingiu a idade de 13 anos. Ele sofre de epilepsia, retardo mental e autismo. Aqui está o que sua mãe, Gali Atias, escreveu para mim antes de Simchat Torá, que começa esta noite:

“Desde o dia em que Elad nasceu, sonhei com seu bar mitzvah. Sonhei que ele iria melhorar, talvez se recuperar e até pudesse ascender à Torá. Quando chegou a ocasião, tive que atualizar o sonho. Ele não celebrará um bar mitzvah como todo mundo. Certa vez, em uma conversa com os pais de outra criança com deficiência, ouvi deles que eles preferiam excluir o dia do Bar Mitzvah do calendário. Essa frase me acompanhou ao longo dos anos, e decidimos que o dia do Bar Mitzvah de Elad iria ser uma festa e transmitir uma mensagem poderosa.

A questão não era se comemorar, mas como comemorar. Afinal, Elad está muito conectado ao Shabat, Torá, canções e tradição. Elad nos ensinou muito nessa jornada, uma jornada de 13 anos. Ele é o melhor professor que poderíamos pedir na vida. Portanto, se ele não pode ascender à Torá, a Torá vai até ele.

Decidimos escrever um rolo da Torá em homenagem ao evento e realizar uma cerimônia festiva de Hachnassa Sefer Torá no dia do Bar Mitzvah. Elad não pode orar com palavras, mas sua oração do coração irrompe pelos portões do céu, e foi assim que nos sentimos lá. Foi uma cerimônia significativa e alegre, junto com a equipe educacional e médica que acompanhou e acompanha Elad, com a família extensa e solidária e com outras crianças especiais como ele.

Isso nos lembrou que todos, não importa quem sejam, têm sua própria letra na Torá, sua conexão e sua parte na Torá.

Chag Sameach!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *