Uma saudação àqueles que perseveram

Quantas vezes paramos para saudar as pessoas caladas, os dedicados, aqueles que perseveram? Vamos admitir que a história da vida de Yitzchak Avinu parece muito menos dramática do que a história de Avraham. Avraham foi um revolucionário que se rebelou contra toda a sabedoria convencional de sua época e lançou as bases do Judaísmo. Yitzchak não se rebelou e, ainda assim, pode-se dizer, continuar no caminho de seu pai, como Yitzchak fez, é a maior rebelião de todas.
Portanto, Parashat Toldot é uma saudação à segunda geração, uma saudação àqueles que não criam drama ou causam quaisquer momentos de “uau”, que simplesmente trabalham e labutam e fazem o que é necessário. Parece muito sem graça e chato persistir no que seus pais começaram. Como é enfadonho trilhar o mesmo caminho, mesmo se você encontrar nele profundezas de significado previamente desconhecidas, onde a renovação vem de dentro e não depende de circunstâncias externas.
Lemos como Yitzchak enfrenta os mesmos desafios que seu pai enfrentou, como ele cava os mesmos poços, ouve as mesmas promessas de Deus e, no entanto, tudo isso acaba por despertar nossa admiração. Sem Yitzchak e sua dedicação e compromisso, Avraham teria sido apenas um fenômeno único, sem nenhum efeito residual.
A perseverança demonstrada por Yitzchak é relevante para a educação de nossos filhos, para o casamento e para todas as outras áreas da vida. Sem consistência, determinação e profundidade, é impossível construir algo que dure. “Todos os começos são difíceis” (Mechilta d’Rabbi Yishmael 19: 5) e estamos acostumados a falar longamente sobre os pioneiros. No entanto, todas as continuações também são difíceis, e aqueles que vêm depois dos desbravadores recebem muito menos elogios. Uma vez por ano, nesta parashá, temos a oportunidade de saudar aqueles que vêm a seguir e perseveram.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *